segunda-feira, 31 de maio de 2010

o que todo homem precisa saber .


Se eu erro muito no MSN quando eu to falando com voce, é porque eu não to dando a mínima pra nossa conversa, se eu respondo seca ou como quem tanto faz, e abrevio muito, é que provavelmente eu não quero estender o assunto com voce .
Cuidado, provavelmente se eu não te dou muita bola, e um dia eu dou, é que eu preciso muito falar com alguém ( e voce é sempre o bobo que vem falar comigo ) provavelmente eu estarei com os nervos a flor da pele, e precise muito falar com alguém.
Se voce dá muita indireta que ta fim de mim, me chama de linda, enfim, se voce fica meloso demais, e se eu nunca respondo as sua investidas, desista, a sua imagem já foi estragada, e qualquer coisa que voce faça, pode estragar mais ainda .
Nunca,ouviu ? N U N C A pergunte como anda meu coração ( ele ta no mesmo lugar caralho, ele não anda, ele BATE ) ou se eu to de rolo com alguém, ou coisa do gênero, eu não falo da minha vida pessoal, não saio falando que beijei um na sexta, e outro no sábado ( não me orgulho muito desses meus deslizes) , e se eu estou com alguém, até que seja oficial, eu não vou comentar nada com voce ( não quero correr o risco de estragar nada ), então estando ou não com alguém, eu direi que ‘tô de boa’, e isso não significa disponibilidade . portanto não se anime !
Não me chame de linda toda hora,isso também cansa, PAIXÃO ? quebrou qualquer meio possível clima , xuxu , até que é fofinho, mais voce tem que ter muito estilo, e um lábia, pra isso parecer bonitinho, ao invés de brega , princesa ? parece cantada barata , belezinha parece que me vê como uma criança, como alguém ingênua, parece que tá puxando meu saco, e eu odeio isso .
Em hipótese alguma, diga que quer que eu te esquente no frio, ou que vai me esquentar, nem peça massagem, nem diga que quer carinho, que tá carente e etc .. isso é a coisa mais bregae chata, e te faz parecer apelativo .
Não fique me perguntando, se eu gosto de namorar, se eu prefiro frio ou calor, se eu gosto de chuva, como eu gosto de ser beijada, se eu gosto de assistir filme ,resumindo, não tente entender o que me agradaria se a gente namorasse,ou tivesse qualquer coisa ( perguntar isso, significa que voce perdeu toda e qualquer chance, voce me fez lembrar do que eu gostava quando eu namorava, quando eu tinha um cara legal do meu lado e eu realmente gostava dele, e isso não ta acontecendo com, voce, tu me fez lembrar do meu ex idiota ! evite isso ao máximo ) e bom, voce ta apelando de novo .
Seja inteligente, a sua imagem comigo, é voce que faz, não estrague-a , porque se voce não é bonito, ter um bom papo, ser descontraído, já conta muito ! fale de musica comigo, mais de musica boa por favor, não tente me impressionar dizendo que gosta de restart, ou qualquer coisa do gênero, eu gosto de musica boa, me diga que ouve Chico Buarque ( mesmo que eu nem ouça tanto, admiro muito quem gosta ) , me mostre musicas de bandas internacionais de pop rock romântico, voce pode dar sorte de eu gostar e procurar mais musicas ainda e acabar fazendo parte da minha lista de reprodução( sem malicia é claro ), sério ela é muito importante pra mim , me mostre qualquer musica que tenha sido trabalhada, poxa, nem é tão difícil assim, ( se for muito difícil, eu aceito que voce fale das mais famosas, não menos merecedoras ,legião, engenheiros, capital, cazuza,e por ai vai, acho que voce entendeu, são ótimas, eu amo, e agradam mais facilmente ). fale sobre filme comigo, fale sobre atores, diretores, ah, tenha assunto, me mostre conteudo, qualquer coisa, política, economia, me impressione, mostre-se acima das minhas expectativa , por favor !
na verdade eu sou uma pessoa fácil de agradar, eu só gosto de pessoas seguras, que não precisam me entender, que se impõe, que falam coisas produtivas e não ficam horas girando em torno da ‘ minha beleza, de como sente minha falta, de como o meu abraço é bom ‘ de pessoas que sabem com são , e se acham pazes de me agradar assim.
Seja um pouco malandro, mais não santo querendo ser malandro isso é ridículo. saiba como falar, o que falar, como eu disse, descontraindo, rindo da vida, não se importando tanto com tudo, não sendo certinho,me desperte um desejo, não me dê tanta moral, dê uma sumida, reapareça, fassa mistério sobre voce .. não me diga que brigou com a sua mãe e ficou de castigo só pra sair e me ver, voce tem que ter atitude, não precisa brigar com seus pais, mais sabe, não seja criança, o mínimo de maturidade e foco é bom ! .. nada de papai não quer, mamãe não deixa ! bom, e se voce não for virgem, nada de expor isso como um troféu, e se achar homem por isso, sua capacidade intelectual me interessa muito mais por enquanto do que a sua capacidade sexual ! isso, a gente resolve com o tempo , se calhar ..
o que eu to tentando dizer,nesse texto inteiro, é que pra ser homem é simples, basta em primeiro lugar não tentar, e não fingir ser o que não é, tem que ter ousadia de mostrar os seus defeitos , ressaltando as suas qualidades, ter assunto e não encher lingüiça com elogio, não ficar apelando nem querer cola de como tratar uma mulher, ter acima de tudo espontaneidade e segurança, saber de vez em quando seduzir, mandar flores, dar uma romantizada no dia, mas sem exageros, é portanto não esconder o medo de errar, é deixar por um minuto a casca de lado e se tornar um poço de sensibilidade, toda mulher adora isso, é também seguir as pistas de vez em quando pra agradar, é ser fiel e não se esconder nos próprios erros, é assumi-los .. tenha essencia e conteúdo, e coragem, isso pode bastar em um homem .
mas, pelo amor de deus, não me encha o saco se não tem nada pra falar, quer ser pateta ? seja , mais longe de mim, quer fazer tipo ? faça mais longe de mim .
se tem uma coisa que eu aprendi, é que apenas os homens de coragem valem a pena, ou quase né !


@m.b31

não eu também tentei achar o endereço no twitter, mais não consegui, não sei de quem é , achei numa comunidade perdida ai , HSUAHSUAHUHSA .

lobalela

todos os outros,

Todos os outros só me serviram pra provar o quanto ele era perfeito, mesmo sendo o mais cheio de defeitos. Todos os outros só me trouxeram uma saudade ainda mais dolorida dele, só me fizeram querer ele mais perto, só me deram forças pra buscá-lo. Nenhum foi amor, nenhum foi paixão, nenhum foi motivo de insônia ou de sono profundo. Todos os outros foram apenas pedagogia, um jeito que Deus encontrou de me ensinar que ele era o certo.
Com nenhum eu quis ver estrelas, nem ter filhos, nem casar. Com nenhum eu quis casa no campo, nem promessas, nem futuro. O tempo todo o meu futuro esteve com o cara que ficou no meu passado.
Os meus olhos já não disfarçam a frustação de ter passado por todos os outros como quem passa por nenhum. O meu corpo cansou de não ser entregue e a minha alma cansou de vê-lo tão solto e ao mesmo tempo tão longe de todos os outros.
De uns eu tive compromisso, de outros expectativas e dos restantes apenas o sabor da conquista. Mas de todos os outros eu tive mais que dele, eu tive muito e tive tudo, só que 'tudo' era 'nada' porque nenhum era ele.
Eu ganhei olhares, presentes, beijos e milhões de esperanças de que poderia dar certo. Mas eu tinha perdido ele e sem ele todo o caminho era escuro, sem graça, nojento e errado. Com todos os outros foi 'amor' de meia hora, de 3 meses, de 2 anos, mas com nenhum foi amor de uma vida ou de 3 mil vidas como foi com ele. Eu tive frequência nas ligações, eu tive "namorando" no orkut, eu tive amizade colorida e nada disso me deu tanto prazer quanto ver as tentativas frustradas dele de não demonstrar sentimentos.
Todos os outros compraram um lugar, mas nenhum deles teve assento, todos ficaram em pé enquanto ele tinha camarote de graça. Eu não deitei o meu cabelo molhado no peito de nenhum, eu não fiz nenhuma outra barriga de travesseiro, eu não pedi de nenhum fidelidade e todos os meus ciúmes foram fingidos. Porque eu concentrei todas as minhas forças nele, e só no peito dele os meus cabelos poderiam se enroscar, só na vida dele a minha vida faria sentido, só na fidelidade dele eu descansaria o meu ciúme doentio.
Com todos os outros eu tentei esquecer, com nenhum deles eu consegui !


tamylis camilo .


vão escrever bem assim na PQP, que lindo, que foda esse texto O:
eu já tinha postado a primeira frase dele, mais encontrei-o inteiro haha, no mesmo blog
, DESCOMPASSODELAS e enfim, eu amei, achei muito lindo (:

lobalela.

faz tanto tempo

Já faz tanto tempo, mas ainda me soa estranho dizer pra algum desinformado, que encontro na rua, que nós não estamos mais juntos. Eu vi a primavera, o verão e agora espero findar o outono para que o inverno leve embora todas as folhas secas e todas as coisas que vi sem ele.
Como assim não estamos mais juntos se penso nele todos os dias, se os meus sonhos foram todos sonhados com ele, se eu quase posso vê-lo comigo quando fecho os olhos, se quase posso senti-lo quando tomo banho?! Como assim?!
Faz tanto tempo e eu ainda não entendi, não aprendi, não aceitei. Faz tanto tempo e eu ainda durmo e acordo com as mesmas esperanças, com os olhos cheios de lágrimas e o sorriso repleto de novas expectativas. Faz tanto tempo e eu ainda não me vesti de outros tons além do preto básico que ele adora, ainda não ouvi outras músicas além daquelas que ouviamos juntos, ainda não fui a outros lugares fora aqueles em que posso encontrá-lo. Faz tanto tempo e ainda não consegui viver por mim, foi tanto tempo vivendo por ele que perdi o manual da minha vida, não sei qual meu filme preferido, não sei quem são meus melhores amigos, não faço ideia de quem eu era e de pra onde eu ia antes dele. Eu deixei meus sonhos jogados em alguma caixa velha e tratei de realizar todos os sonhos dele, o tempo passou... a caixa foi ficando ali esquecida e um dia foi parar no lixo.
A verdade, a grande verdade mesmo, é que depois que eu conheci ele eu nunca mais quis outra coisa, não quis sucesso, não quis dinheiro, não quis viajar, todos os meus pedidos foram ele, durante todo esse tempo a única coisa que eu quis com toda força do mundo foi ser o suficiente pra ele.
Você pode chamar de submissão, loucura e até de doença. Mas pra mim nunca custou nada, foi sempre de graça, sem esforço, sem sacrifício. Era vontade de ver a minha felicidade na dele. Era ser um só. Era amor que não cessa de dar. Era oferta de paz em tempos de guerra.
Enfim, já faz tanto tempo e ainda é pra ele que eu escrevo, que eu me visto, que eu me guardo. Ele ainda é pra quem eu corro nos meus sonhos, ainda é o único destinado a me salvar de mim mesma.
Não importa quanto tempo faz, continuo olhando pelo retrovisor, continuo rezando pra que um dia você apareça, pra que siga os pedacinhos de mim que vou deixando pelo caminho, pra que reconstrua o meu único caminho.


amanda telles




êlaia, cá estou eu, roubando textos de blogs de novo, HSUAHSUAUHSA, mais esse é pra uma amiga minha que pediu algo assim, pra ela, pra eu postar aqui e tal, e bom, achei muuito lindo esse, hehe :B ou melhor, toooodos os textos dela são lindos quem quiser ver o blog dela, é descampassodelas, é só ir ver os que eu sigo, muito, muito lindo mesmo
lobalela

ele sempre vai embora

Em algum momento, em vários deles ou definitivamente, as pessoas sempre vão embora. Talvez essa seja a pior coisa do mundo.
Ele vai embora, sempre, quando eu preciso de quinze minutos de silêncio complementar à minha entrega, odeio o desespero dele por banhos e a sua ansiedade curiosa pelo que vem depois. Que se dane o depois, eu sou agora, ou pelo menos era.
Ele vai embora, sempre, quando o parágrafo passa de três linhas, o pensamento dele ultrapassa meus olhos, o som se perde da minha boca para qualquer outro canto do mundo que não tenha seus ouvidos e ele olha fixamente para qualquer outra coisa que não seja a minha existência. Sempre a mesma cara de tédio e de busca pelo resto que não se repete ou não se prolonga.
Ele sempre vai embora quando eu queria que ele se perdesse um pouco, rasgasse a agenda, lançasse o celular no rio, desligasse todos os toques, luzes e sinais de que há todo o resto. Esquecesse do sono, do livro, da planta, das lembranças. Ele sempre vai embora do meu mundo quando eu só queria que ele descansasse um pouco de ser ele o tempo todo, mas ele tem muito medo de não ser ele, talvez porque ele não saiba o que ele é.
Ele sempre vai embora pra descobrir quem ele é, ou para lembrar que ele é o mesmo de sempre que não sabe quem é, ele sempre vai embora antes da gente ser alguma coisa juntos.
Vivo com essa sensação de abandono, de falta, de pouco, de metade. Mas nada disso é novidade. Antes dele, teve o outro, o outro que continua indo embora para sempre porque nunca foi embora pra sempre. Eu não sei deixar ninguém partir, eu não sei escolher, excluir, deletar. São as pessoas que resolvem me deixar, melhor assim, adoro não ser responsável por absolutamente nada, odeio o peso que uma despedida eterna causa em mim. Nada é eterno, não quero brincar de Deus.
O outro foi embora a primeira vez porque estava bêbado demais, foi embora a segunda porque ficou tarde, foi embora a terceira porque teve medo de ficar pra sempre, foi embora durante alguns longos anos porque todo o resto do mundo precisava dele e eu era apenas uma das demandas. Ele me chamou de demanda a última vez que foi embora pra sempre, mas pra sempre pode durar duas horas, dois anos ou duas encarnações. A gente sempre se despede lembrando da música do Chico que diz “o amor não tem pressa, ele sabe esperar em silêncio”.
Antes dele teve ainda um outro que sempre ia embora na espera de que existisse algo melhor do que eu, mas não ia definitivamente porque não é todo dia que aparece alguém melhor do que eu. Um dia apareceu, ela até que é bonita e tal, não parece tão confusa e intensa e talvez mediocridade seja tudo de que uma pessoa precise para ser feliz. Mas a última vez que ele foi embora, antes me deu um abraço de quem nunca saiu do mesmo lugar. O abraço e o seu olhar de quem nunca sabe direito porque vai embora ficaram pra sempre comigo.
Hoje meu novo amigo foi embora, não pra sempre, mas um segundo pode ser pra sempre se pensarmos grandiosamente, e ele me dá vontade de pensar grandiosamente. Fazia tempo que alguém não ficava tão calado enquanto eu apenas existo, fazia tempo que alguém não ficava tão perdido só porque me encontrou, fazia tempo que eu não me olhava no espelho e sorria, sabendo que sim, sim, sim, sou bonita ora bolas! Sou interessante! Da onde eu tinha tirado o contrário nos últimos meses?
Todo mundo chega na sua vida. Em algum momento, em vários deles ou definitivamente, as pessoas sempre chegam. Talvez essa seja a melhor coisa do mundo.
Como naquele texto que não lembro, daquela pessoa que não lembro, e sobre o qual você me contou de um jeito que eu nunca mais vou esquecer, no final a gente acaba mesmo numa esquina qualquer, lembrando de alguém que um dia chegou e depois foi embora, perplexo.


tati bernardi

domingo, 30 de maio de 2010

do caio .


Eles eram tão colonizados, tão caretas e carentes, eles estavam tão perdidos no meio daquela fantasia sub-havaiana que já ia acabar. Ela era só uma moça querendo escrever um livro e ele era só um moço querendo morar num barco, mas se realimentando um do outro para. Para quê? Eles pareciam não ter a menor idéia. O cheiro dele era tão bom nas mãos dela quando ela ia deitar, sem ele. O cheiro dela era tão bom nas mãos dele quando ele ia deitar, sem ela. O corpo dela se amoldava tão bem ao dele, quando dançavam. Ele gostava quando ela passava óleo nas suas costas. Ela gostava quando, depois de muito tempo calada, ele pegava no seu queixo perguntando ― o que foi, guria? Ele gostava quando ela dizia sabe, nunca tive um papo com outro cara assim que nem tenho com você. Ela gostava quando ele dizia gozado, você parece uma pessoa que eu conheço há muito tempo. E de quando ele falava calma, você tá tensa, vem cá, e a abraçava e a fazia deitar a cabeça no ombro dele para olhar longe, no horizonte do mar, até que tudo passasse, e tudo passava assim desse jeito. Ele gostava tanto quando ela passava as mãos nos cabelos da nuca dele, aqueles meio crespos, e dizia bobo, você não passa de um menino bobo...



' Não era bom nem mau: era apenas perfeito, sem pensamentos nem aflições '


caio fernando abreu

sejamos breve ..

Não se angustie procurando-o: ele vem até você, quando você e ele estiverem prontos. Cada um tem seus processos, você precisa entender os seus. De repente, isso que parece ser uma dificuldade enorme pode estar sendo simplesmente o processo de gestação do sub ou do inconsciente.


cario fernando abreu

que o outro.

Que o outro saiba quando estou com medo, e me tome nos braços sem fazer perguntas demais.
Que o outro note quando preciso de silêncio e não vá embora batendo a porta, mas entenda que não o amarei menos porque estou quieta.
Que o outro aceite que me preocupo com ele e não se irrite com minha solicitude, e se ela for excessiva saiba me dizer isso com delicadeza ou bom humor.
Que o outro perceba minha fragilidade e não ria de mim, nem se aproveite disso.
Que se eu faço uma bobagem o outro goste um pouco mais de mim, porque também preciso poder fazer tolices tantas vezes.
Que se estou apenas cansada o outro não pense logo que estou nervosa, ou doente, ou agressiva, nem diga que reclamo demais.
Que o outro sinta quanto me dóia idéia da perda, e ouse ficar comigo um pouco - em lugar de voltar logo à sua vida.
Que se estou numa fase ruim o outro seja meu cúmplice, mas sem fazer alarde nem dizendo 'Olha que estou tendo muita paciência com você!'
Que quando sem querer eu digo uma coisa bem inadequada diante de mais pessoas, o outro não me exponha nem me ridicularize.
Que se eventualmente perco a paciência, perco a graça e perco a compostura, o outro ainda assim me ache linda e me admire.
Que o outro não me considere sempre disponível, sempre necessariamente compreensiva, mas me aceite quando não estou podendo ser nada disso.
Que, finalmente, o outro entenda que mesmo se às vezes me esforço, não sou, nem devo ser, a mulher-maravilha, mas apenas uma pessoa: vulnerável e forte, incapaz e gloriosa, assustada e audaciosa - uma mulher .



Lya Luft

sabado .

Mas a lição que eu aprendi no sábado é que não vale a pena consertar um carro pela décima vez. É mais fácil comprar um novo e fim de papo. Afinal, eu bem que tentei consertar meu relacionamento com todas essas pessoas e só ganhei mais e mais poses e menos e menos verdades. Ainda que doa deixar pessoas morrerem, se agarrar a elas é viver mal assombrado !


tati bernardi

brisa


Passamos a tarde juntos. Foi leve e eu estava quieta, coisa que nunca aconteceu nenhuma das vezes que saímos. Eu estava sempre histérica e hoje eu estava muito quieta, até demais. Talvez seja porque eu não tenho mais a euforia louca de ser amada. Eu piro quando alguém me ama e ao ver em você a calmaria dos vencedores corriqueiros, larguei o corpo. Acabou sendo boa, a sensação de tarde ordinária, encontro ordinário.


tati bernardi

depois de voce ;

Esse medo de cair é recente. Veio acompanhado da alegria momentânea que você causou, mas ficou mesmo foi por causa da distância.
É difícil não tropeçar quando todos os rostos na rua são o seu. É difícil quando sua voz me chama de todos os lados. É difícil te esquecer querendo você em todos os outros.



verônica h

(+) frase.

Você ri do medo que eu tenho de você me pedir em namoro, sofre em silêncio quando eu falo que tenho medo de enjoar de você e tenta entender o motivo de eu ter tantos medos escondidos por trás da minha mania de demonstrar segurança.



verônica h

pra quebrar o que é certo .

O mundo me prefere com dois braços e duas pernas, mas não sei mais ser humana. Sorrir cansa. Chorar cansa. Mas o que mais cansa é procurar desesperadamanete um intermediário e esquecer que o mundo é mais que aparências.
Eu sou volúvel. Grande surpresa. Mas ser volúvel também cansa. Porque ninguém leva a sério alguém que passa a semana chorando pra ficar bem na semana seguinte. Como se fosse preciso ser feliz pra sempre ou triste pra sempre pra ser alguma coisa de verdade.
Não quero mais a realidade comum. Isso é o que mais cansa, pra ser bem sincera. Tenho até arrepios de pensar num futuro escrito e óbvio nas prateleiras de gente sem sal. Só de saber o que vai ser de mim, já quero ser outra coisa. Uma coisa nova e diferente, pra quebrar o que é certo !

Verônica H

frase .

soltei o mundo, pra segurar a sua mão ..


brena braz

sábado, 29 de maio de 2010

melhor deixar uma lembrança

Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente? Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais — por que ir em frente? Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia — qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido !

Caio fernando abreu

voce não me ama .

Posso repetir quantas vezes for preciso pra você entender: suas palavras não valem nada. É sua atitude que conta. Se amar for isso, então, vá amar outra mulher. Vá fazer outra de trouxa. Vá jurar amor eterno numa noite e ser visto com outra mulher no dia seguinte. Sinceramente, não entendo.
Se me ama, me prove. Coloque seu coração à prova. Porque eu cansei de colocar o meu. Cansei de dar a alma pra bater. Cansei de esperar por seus telefonemas. De esperar por você. De acreditar em você. Você diz que me ama mas nem ao menos me conhece. O que você sabe sobre mim? Meu nome? Meu sobrenome? Que eu gosto de chocolate? Que eu gosto de música eletrônica e de Madonna? Pouco. Você não me conhece. Não conhece meus sonhos. Não esteve no meu passado e é muito provável que não esteja no meu futuro !

brena braz !



eu achei muito, muito a cara de uma amiga minha a Lá ! parece ela me dizendo isso !

not .

Não quero amor de fim de noite. Não quero amor de uma noite só. Não tenho mais idade - nem saco - pra micareta. Não sei mais paquerar ou fazer joguinho de “não te quero só pra você me querer”. Não preciso que me queiram pra massagear meu ego. Tenho foco. Sou mulher de um homem só. Não preciso de conversinha com ex-rolos no Messenger porque sei bem o que eu quero. Não preciso de homem pra massagear meu ego. Não preciso testar meu poder de sedução mantendo possíveis casos amorosos na internet. Não preciso de ninguém pra me dizer o quanto sou linda, gostosa e inteligente. Pra isso, tenho espelho, academia, papel e caneta. Não preciso usar meu corpo ou muito menos minhas palavras pra conquistar alguém. Pra isso, tenho sentimentos que falam por mim.


brena braz .


pode ser que eu já tenha postado, mais não me lembro X:

(+) frases .


Porque eu falo antes de pensar. Eu falo até sem sequer pensar. Eu penso falando. E se estou com você, aí, não penso duas vezes. Não penso em nada. Não quero mais nada.


brena braz

frase do dia


depois de sofrer muito querendo uma pessoa perfeita e uma vida de cinema, eu só quero ser feliz de um jeito simples !


tati .

breaking eggs

Chega um momento em que a relação precisa quebrar os ovos. É bom estar preparado...
Não estou pedindo para mentir, muito menos fingir, mas falar um pouco bem para acordar os ouvidos e despertar o interesse.
Eu compreendo perfeitamente quando um homem broxa se a cada instante é lembrado de sua barriga. Eu compreendo perfeitamente quando uma mulher decide dormir quando sua lingerie nova não foi reparada.
Nunca acusamos quem a gente não conhece. Julgamos infelizmente quem vive nos absolvendo.
Por isso minha escola são os interruptores de luz: uma mulher fica realmente nua quando tira os brincos.
Abandonar o paraíso é a única forma de não esquecê-lo.
Alguém dentro de mim mente para me proteger...
O amor é sempre assassinado. Para confiarmos a nossa vida para outra pessoa, devemos saber o que fizemos antes com ela.
Até hoje não diferencio os cogumelos venenosos dos sadios. Como descobrir o que mata sem morrer um pouco por vez?
Liberdade na vida é ter um amor para se prender.
Amigo é o que fica depois da ressaca. É glicose no sangue. A serenidade...
O amor vive no tempo porque deixa rastros. Paixão se esquece, e amor nem enterrando acaba.
Na infância.. Bastava sol lá fora e o resto se resolvia.
Não deixo de acreditar nas coisas porque não existem. Eu também posso me inventar para elas.

Fabrício Carpinejar

meeeio complexo, mais muito, muito bom!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

eu valho a pena

O primeiro erro que alguém pode cometer num relacionamento é se apaixonar pela outra pessoa antes de conhecê-la bem. A paixão é cega. Ou melhor, a paixão deixa as pessoas cegas. Elas começam a idealizar as outras e esse é o primeiro passo para um relacionamento dar errado. Quando a realidade dá as caras, ninguém é tão perfeito nem tão amor infinito quanto o outro imagina.
Mulher nenhuma dá conta de ser tão linda quanto o outro acha que ela é. Tão legal quanto o outro acha que ela é. Tão desgarrada e sem ciúme quanto o outro gostaria que ela fosse. Isso é coisa do começo, quando os homens ainda enxergam em nós, mulheres, a perfeição. E depois de alguns meses, somos obrigadas a corresponder às expectativas que eles criaram por conta própria. Cadê aquela mulher perfeita, linda, exuberante e legal que eu conheci? Não, querido, essa pessoa nunca existiu a não ser na sua imaginação.
Esse texto poderia ser parte da minha auto-biografia premeditada. Coisas que podemos escrever antes que elas aconteçam, pois inevitavelmente vão acontecer. Eu nunca consegui ser tão boa companhia quanto pensavam que eu fosse. Nunca consegui ser tão culta quanto pensavam que eu fosse. Nunca consegui ser tão descolada quanto pensavam que eu fosse. Nunca consegui ser tão assídua na academia quanto pensavam que eu fosse. Nunca consegui ser tão dona da minha própria vida quanto pensavam que eu fosse. Nunca consegui ser tão bem resolvida quanto pensavam que eu fosse.
Talvez eu passe uma imagem errada de mim. Não sou metade da cabeça pensante que pareço, não tenho metade da empolgação pra malhar que já tive, não me viro tão bem sozinha quanto digo que me viro, não gosto tanto assim da minha própria companhia quanto eu digo por aí. Sou chata mesmo e tem hora que nem eu me agüento. Sou extremamente simples, caseira e cheia de manias estranhas (como ouvir Bruno e Marrone e dançar no meio da rua). Faço coisas “de homem” como trocar chuveiro, pintar a parede e consertar descarga em pleno feriado.
Já se apaixonaram por mim diversas vezes e, ainda assim, continuo solteira. Cada vez mais, quero que não se apaixonem por mim, afinal não vou ser metade da fantasia de alguém. Nem tento. Já vou dizendo logo quem sou, pois meu negócio é a realidade. Não tenho mais idade pra namoros adolescentes ou pra me interessar por viver uma ilusão. Todos que se apaixonaram por mim me fizeram sofrer no final. Queriam que eu fosse alguém que eu não sou pra eu corresponder a uma expectativa que não fui eu que criei.
Eu não pareço, nem de longe, a garota da camiseta molhada da revista. Eu não tenho vocação (nem bunda suficiente) pra andar de shortinho enfiado. Nunca vou colocar silicone e meus peitos vão continuar do jeito que eu gosto que eles sejam. Nunca vou achar normal traição e meu conceito de traição inclui trocar telefone (ou outro meio de contato) com uma mulher na balada. Nunca vou deixar solto quem eu amo. Minhas verdades mudam com o tempo, meus valores não. O que alguém acha de mim não vai determinar quem eu sou. Mesmo assim, não vou discordar quando alguém achar que eu não valho a pena. Eu valho. Eu valho a pena se tentarem me amar ao invés de se apaixonarem por mim !


Brena Braz

a tristeza em pé


Tem sempre aquela pessoa que vai te falar: mas você tem as duas pernas, garota! Tem também as variações das duas pernas: os pais vivos, pelo menos dois paus na conta bancária, dois olhos perfeitos, dois ouvidos sem defeitos, essas coisas.
No Brasil não tem terremotos. Pelo menos não em São Paulo. Pelo menos não em Perdizes. Tem buracos que engolem pessoas perto da Ed. Abril e tem aviões que matam duas centenas de pessoas. Mas eu não tive nenhum conhecido, amigo ou parente que tenha morrido em nenhum desses acidentes.
Se você me vir por aí, buscando um pão quente ali na padoca da esquina ou comprando uma pacotinho de absorvente na farmácia do outro lado da rua, certamente pensaria: lá vai uma garota com as duas pernas, os dois olhos, os dois ouvidos, pelo menos uns dois paus na conta bancária, os pais vivos e nenhuma catástrofe significativa pesando em seus dois ombros perfeitos. Ou não pensaria nada porque nada em mim grita. Não tenho motivos para gritar.
Lá vai mais uma garota de pé. Sem motivos óbvios ou convincentes para se contorcer de dor por aí. Ou sem nenhuma justificativa para se encolher, desistir, correr de quatro, se esconder em cantos, colar a testa na parede e querer que o mundo vire para o lado até as paredes virarem chãos. Eu sou só uma garota com a vida boa e, por isso, uma garota que segue a vida em pé. Seria até um pecado não dar valor a vida, não é mesmo? Com tanta gente pior por aí, não é mesmo? Seria um pecado não ser absolutamente feliz. E sorrir o tempo todo. E seguir a vida em pé.
E hoje tava o maior sol. E sol me deixa triste. Porque o sol sempre quer dizer que a vida só está uma merda por culpa sua. Afinal, a parte dele, ele ta fazendo. Lá no céu, iluminando tudo, deixando tudo dourado. A culpa do seu dia estar um verdadeiro lixo é única e exclusivamente sua, porque o dia só quis ajudar. E a vida poderia estar realmente maravilhosa. Poderia se ao invés de estar nesse parque nojento com meninas barrigudas correndo e gritado “o peixe ta morrido, o peixe ta morrido” eu estivesse numa praia deserta tomando água de côco com um tipo inteligente, bom de cama e apaixonado. Mas praias desertas são como esse tipo inteligente, bom de cama e apaixonado. Logo enchem.
Depois eu voltei do supermercado cheia de sacolas e umas das sacolas, muito pesada, fez um vergão no meu braço. E o que isso tem de triste? Sei lá, mas eu fiquei triste pra cacete. E o gordo do meu prédio que deixa a esteira completamente melada de suor me deprime demais, demais. E a tia com pernas de frango assado que divide a vaga do estacionamento comigo, e tem uma bosta de um Ka roxo sempre sem gasolina, me deprime mais ainda. E o prédio de trás, com seus pagodes dominicais? Me deprime tanto que eu gostaria que assassinato não desse cadeia. Eu gostaria de explodir todos eles. E depois dormir em paz. Mas eu não durmo em paz nunca, mesmo quando estou dormindo em paz. Eu acordo e penso “olha, estou dormindo em paz”. Isso definitivamente não é dormir em paz! E quando vou ver, lá estou eu mais uma vez, dobrando esquinas, cruzando ruas, fazendo curvas, dando setas, entrando em lugares, me despedindo, saindo do banho, dando a descarga, abrindo a geladeira, mudando o canal. Sempre de pé. Absolutamente triste e de pé. Eu e minha tristeza em pé.
E então minha mãe me conta da sua dor ou doença da semana. E me faz uma lista de todas as pessoas que podem ser responsáveis por sua morte anunciada há mil anos. O chefe arrogante, a empregada burra, o vizinho barulhento, a telemarketing robótica, o moço da feira, a menina da unha. E eu quero matar todo mundo. Mas eu sei que já estive nessa lista vez ou outra. E então eu também quero me matar. E meu pai me fala o quanto acredita que a vida é uma grande merda. E que ele espera a hora que a vida acabe. E então minha mãe faz pipoca doce e meu pai parcela mais um aparato eletrônico em doze vezes. E eles já não sofrem mais e não culpam ninguém. E eu também já não sofro mais e nem me culpo. E tudo passa por um tempo e vamos sorrir, vamos ao cinema, vamos dormir depois do almoço do domingo. E daqui uns dias vamos caminhar por aí, com a nossa dor sem motivos. E, principalmente por isso, uma dor filha da puta. E vamos em frente. Eretos com nossa tristeza. Porque a alegria sempre carrega essa certeza de que a alegria é falsa. E a tristeza sempre volta, ainda mais em pé que a gente. Sobre a nossa cabeça. Tirando sarro da nossa ilusão.
E o único jeito de ser mais malandro que a tristeza é sendo cínico. E lá vai a garota. Comprar pão quente com seu cinismo. Comprar absorvente com seu cinismo. Amar com seu cinismo. Porque só o cinismo vence a tristeza. Porque só o cinismo é mais triste do que a tristeza.
E eu virei um muro alto feito de pedras cheias de pontas. Tudo isso só porque eu quero tanto um pouco de carinho que acabei ficando com medo de não ganhar. E coitada da moça da padaria e do moço da farmácia. Porque lá vai uma garota trator. Sempre de pé, carregando seu corpo sempre no chão. Sempre com pressa, pressa de acabar logo com tudo. Para poder deitar um pouco. Para poder dividir a tristeza com a gravidade. Para parar de fingir que tudo bem andar por aí carregando essa merda dessa tristeza. Sempre de pé. Afinal, seria um pecado não ser absolutamente feliz, com tanta gente pior por aí, não é mesmo?
E todas as vezes que eu lembro dele dizendo para outra mulher: “eu quero muuuuito”. Eu não sei que porra ele queria muito. Talvez um dedo no cú. Não sei. Mas todas as vezes que eu lembro disso. Da humilhação que foi ouvir isso tão de perto e tão de propósito para doer. Eu não consigo simplesmente deixar morrer e nascer de novo. Porque todos os dias eu nasço de novo, com a esperança que a tristeza fique na outra vida. Mas a tristeza nasce comigo. E nós saímos para trabalhar, comprar pão ou sonhar em explodir o prédio do pagode. Sempre de pé. Somos dois animais de pé. Um ao lado do outro. Dentro do outro. Em cima do outro. Mas sempre juntos. Mesmo quando a alegria ocupa todos os espaços. Ainda assim a tristeza está lá, disfarçada de alegria. E a ausência da tristeza é apenas uma linha de trem. Anunciando que o trem existe, só saiu por um tempo. Daqui a pouco ele volta, maquinando, bufando e atropelando minha cabeça. E o trem corre deitado, mas eu sigo em pé. Afinal, seria um absurdo uma menina com uma vida tão boa não seguir assim.
E nunca ninguém desceu do morro em bando para me matar. Mas eu sinto a morte me sufocando quando vou da Barra para a Zona Sul. E nunca ninguém botou uma arma na minha boca no farol da Henrique Schaumann. Mas eu sinto um gosto de pólvora misturado a lanche de restos mortos quando passo em frente ao Big X Picanha. E nunca ninguém me odiou ao ponto de me matar, mas eu me sinto morta todas as vezes que alguém deixa de me amar. E eu não estava naquele avião e nem naquele buraco. E nem tem terremotos na minha cidade. Mas nem por isso eu me sinto voando. Mas nem por isso eu deixo de sentir a terra em cima da minha cabeça. Tudo a minha volta treme e chacoalha mais que aquele brinquedo Samba no parquinho. De quando eu era criança e tinha medo de vomitar. E eu não comi nada estragado e nem estou ajoelhada no bidê. Eu nem tenho bidê. Mas sinto a eminência de uma ânsia podre e de joelhos o tempo todo. E definitivamente a minha vida não é uma merda. Mas a verdade é que eu sinto o cheiro da bosta mesmo assim.
E eu continuo andando por aí, em pé com minha tristeza. Mas minha sombra está de lado, deitada no chão. Talvez porque assim esteja minha alma. Talvez porque isso seja viver, para quem é de verdade, para quem pensa um pouco, para quem sente um pouco, para quem lê jornal de manhã. Talvez apenas porque é meio dia .


tati bernardi

faça o que eu digo, não faça o que eu fasso

Percebi que não importa o tempo que você tenha vivido, ou deixado de viver. Você sente a carência que um adulto de 30 anos sente quando está sozinho, sem ninguém pra ocupar um espaço que, talvez, necessite ser ocupado. E você tem a metade da idade que esse adulto tem.
É cedo demais? É só por não ter mais no que pensar, ou em quem pensar?
Tudo aquilo que você diz pros seus amigos não se aplica a você. Nada serve, só te faz indiferente. E aí?
Ah, e aí que você se fode. Qualquer situação te faz a pessoa mais carente desse mundo, só que as pessoas não notam a menos que você diga. E sabe por quê? Porque você sabe disfarçar bem o que sente. E como sabe, parabéns! Clap your hands say yeah.
Percebe que precisa de algo pra ocupar a cabeça, ou caso contrário você vai enlouquecer. Percebe que 2008 vai ter que ser, mesmo que forçado, um ano bem ocupado pra você, pra sua pequena cabecinha cheia de nada.
Você começa a ver nos outros o paraíso que queria pro seu coração. Começa a querer que sejam suas as pessoas que não podem e nunca vão ser. Quer que sua vida seja como um filme, seja como Brilho eterno de uma mente sem lembranças ou como O amor não tira férias. E seu amor tirou férias, meu bem, desde que você nasceu. E vai ser assim até o momento em que você não esperar por ele.
Não consegue deixar de esperar?
Pois bem.
As pessoas te decepcionam, mas você ainda tem uma migalha de esperança de encontrar alguém que te corresponda como você merece. E você tem muito tempo pra isso, não precisa ser agora. Pode ser daqui a dias, horas, meses, anos, décadas. Só resta não esperar, pois, quando se espera, nada se consegue.
Ou vá atrás, ou esqueça. Faça por onde merecer ter a vida que sempre quis. Faça por onde merecer que seu coração fique ocupadinho, pra que não desperdice mais nenhuma chance.
Não queira dos outros o que eles não podem te dar. Queira somente o que perceberá que pode ser recebido.
É difícil vendo todas as pessoas se achando, vendo todas as pessoas felizes. Eu sei, mas você precisa se acalmar, senão enlouquecerá antes do tempo.
Todas as pessoas felizes? Tem certeza?
Creio que você, sozinha, esteja muito mais feliz do que muitos que têm seu coração ocupado (ou nem tanto, vai).
Você diz que está bem sozinha, diz que arranjar alguém é arranjar preocupação desnecessária. Mas eu sei que não é isso que pensa, eu tenho certeza de que não é. Só diz isso pra se mostrar forte como algumas outras pessoas, só diz isso pra pensarem que você é foda e ouvi-las dizer "eu queria pensar que nem você". Mas não, elas não queriam pensar que nem você, porque você pensa de mentira, não é o que sente. Pare de dizer coisas que não são de seu coração. Pára. Melhor ficar quieta. Bem melhor.

Um dia aparecerá alguém que mereça seu coração. Só não queira adiantar as coisas.
O tempo sabe o que fazer pra te acalmar



fernanda braga

definição .

Sigo a vida conforme o roteiro, sou quase normal por fora, pra ninguém desconfiar. Mas por dentro eu deliro e questiono. Não quero uma vida pequena, um amor pequeno, um alegria que caiba dentro da bolsa. Eu quero mais que isso. Quero o que não vejo. Quero o que não entendo. Quero muito e quero sem fim. Não cresci pra viver mais ou menos, nasci com dois pares de asas, vou aonde eu me levar. Por isso, não me venha com superfícies, nada raso me satisfaz. Eu quero é o mergulho. Entrar de roupa e tudo no infinito que é a vida. E rezar – se ainda acreditar – pra sair ainda bem melhor do outro lado de lá.

Fernanda Mello

labirinto .


Pior do que se sentir perdida é perder-se em si mesmo. No emaranhado do que você acredita misturado ao que você é ou era. O que você acredita, apostando corrida com o que você mais detesta. O que você tem, jogando palitinhos com o que você quer. Seu amor e suas dores na linha de chegada e o coração de juiz em dia de clássico.
Eu não sei se você entende o raciocínio de quem não tem raciocinado ultimamente ou se entende o porquê de certas coisas que não se explicam.
Quando a cabeça não pensa o corpo padece. Mas quando a cabeça pensa demais será que nossa alma enriquece?
Você cheio de indagações e de táticas que não fazem o menor sentido. (pelo menos para você ou pelo menos naquele momento).
Suas certezas mudam, suas prioridades deixam de ser prioridades já que você nem sabe mais o que deseja. Até sabe, mas está tão longe e você tão cansado que o mais fácil é deixar que as prioridades te encontrem e você pode fugir do que não interessa. Seus princípios enfraquecidos te cobram uma atitude e você cobra a coragem.
Seus olhos pesam e seu coração já bate fraco. De tanto que bateu a vida inteira. De tanto chorar amor e fracassos. De tanto chorar pelo leite derramado você decide que se entender é complicado demais. O quente queima e o frio é gelado demais, vai o morno mesmo que não causa sensação alguma e no momento você não tem sequer condições de sentir algo. Sentir dá trabalho e trabalho acarreta uma série de responsabilidades. Responsabilidade é chato demais e não aquece seus pés nos dias frios.
Você enfim, opta por decidir somente pelo necessário. Pelo que realmente vai fazer alguma diferença em sua vida e desiste de tentar equilibrar-se, isso é para artista circense e você nem gosta tanto de circo. Melhor deixar assim.
Uma porta de saída e uma de entrada. O que vale fica e o que não vale que valesse. Nada de culpa ou de noites mal dormidas, nada de coração na boca em de frio na barriga.
Certas coisas não se explicam. Não existem palavras que as descrevam ou soluções que as resolva . Sentimentos, gestos, sonhos e sorrisos. A alma entende e a boca cala .



fernanda mello

quinta-feira, 27 de maio de 2010

vem cá .


Pode pensar o que quiser, ainda acho a reciprocidade uma das coisas mais gostosas - e divertidas - desse mundo. Vem cá. Me dá aqui a sua mão. Coloca sobre meu peito. Agora escute. Olha o tumtumtum. Você pode me ouvir? É pra você, seu besta! É por você que meu coração bate! (Ele, que de tanto bater, parou sem querer outro dia). Posso confessar? Jura que vai acreditar em mim? A verdade é que estou de saco cheio de histórias românticas. Meus casos de amor já não têm a menor graça. Será que você me entende? Eu não escrevo porque vivo amores cinematográficos e quero contar pro mundo. Não!! Eu escrevo porque eu sou uma maluca. Minha vida é real demais. Um filme B pra ser mais exata. E eu não acho graça em amores sem final feliz. Por isso, invento. Pro sangue correr pelas veias, pra lágrima cair dos olhos, pra adrenalina sacudir o corpo. Eu invento amores pra ver se eu acredito em mim. (Acredita?). Mas hoje eu estou cansada. Estou cansada de mentiras, de realidade, de telefone mudo e de músicas sem letra. estou cansada de escrever sobre o meio ambiente, redigir manifestos contra o uso de peles de animais em casacos, falar sobre o que será a moda nas ruas. hoje não! uma hora eu escrevo sobre isso, sei lá. mas deixa primeiro eu salvar a minha pele. me deixa ser egoísta. me deixa fazer você entender que eu gosto de mim e quero ser preservada. me deixa de fora de suas mentiras e dessa conversa fiada. eu sou uma espécie quase em extinção: eu acredito nas pessoas. e eu quase acredito em você. não precisa gostar de mim se não quiser. mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado. não me diga nada (ou me diga tudo). não me olhe assim, você me diz tanta coisa com um olhar. e olhar mente, eu sei! e eu sei por que aprendi. também sei mentir das formas mais perversas e doces possíveis (sabia?) mas meu coração está rouco agora. grave! você percebe? escuta só como ele bate. o tumtumtum não é mais o mesmo. não quero dizer que o tempo passou, que você passou, que a ilusão acabou, apesar de tudo ser um pouco verdade. o problema não é esse. eu não me contento com pouco (não mais). eu tenho muito dentro de mim e não estou a fim de dar sem receber nada em troca. essa coisa bonita de dar sem receber funciona muito bem em rezas e demais evoluídos do planeta. mas eu não evoluí até esse ponto e só vou te dar se você me der também. pode rir, é isso mesmo. não vou fingir ser o que não sou. quer me tratar bem? se não quiser, não me procure mais! amor incondicional é muito bonito. mas eu só tenho por mim, pela minha família. de resto, sou igual bicho. me morde e eu te como. com as minhas palavras. que são meu maior mel. e meu melhor veneno .


fernanda mello

para os que esperam cartas.

(...)Olha, desculpa minha sinceridade, mas a vida é muito curta para fi car aguardando pelos outros. Se quem você aguarda realmente se importasse com você, já teria dado algum sinal de vida. Parta para outra.
Já reparou numa certa pessoa que você conhece e tem uma quedinha por você? Não posso dizer quem é, mas pode ser alguém que trabalha do seu lado ou que mora perto da sua casa ou que freqüenta um mesmo lugar. Sei que se trata de uma pessoa bem legal, vale a pena procurar saber quem é.
Fique de olho, tem um monte de gente reparando em suas qualidades. Aposto que, se você olhar em volta, neste instante, tem alguém olhando disfarçadamente para você. Pode não ser o seu tipo, mas já é uma dose de auto-estima, substância da qual você carece.
A verdade é que, enquanto você estiver assim, nessa interminável agonia, esperando notícias que nunca chegam, vai deixar passar várias possibilidades interessantes ao seu redor. Claro, ninguém se compara a quem você aguarda, mas quem você aguarda não está disponível no momento. Poderá, inclusive, nunca estar, apesar de tudo o que foi dito naquele dia. Pessoas que somem não são confi áveis.
E, mesmo que você tenha certeza absoluta de que não se trata de desprezo, que deve ter acontecido alguma coisa, que esse sumiço tem alguma explicação, não adianta nada você fi car aí esperando. Corroer-se de ansiedade não vai apressar a resolução do problema, seja ele qual for. Então, desencana.
Dá uma esquecida desse assunto, tenta focar as energias naquilo que depende da sua vontade. Caso seja necessário, para tirar de vez essa história da cabeça, mande você uma carta esculhambando e colocando um ponto fi nal na questão.
O fato é que não dá para você continuar assim, desse jeito. Está todo mundo comentando.
Ninguém tem coragem de dizer isso para você, mas todos concordam comigo. Já chega.
Além do mais, se for para ser, será. Um dia, quando você menos espera, pinta um reencontro, sei lá. Mas até esse possível reencontro fica mais difícil se você não se abrir de novo para o lado inesperado da vida.
E, cá entre nós, se a pessoa que você aguarda é quem eu estou pensando, também não é nenhuma belezura assim. Você arruma coisa melhor !



fernanda yong

frases do dia .

Podia ser só amizade, paixão, carinho, admiração, respeito, ternura, tesão. Com tantos sentimentos arrumados cuidadosamente na prateleira de cima, tinha de ser justo amor, meu Deus?

Não era bom nem mau: era apenas perfeito, sem pensamentos nem aflições

Ou me quer e vem, ou não me quer e não vem. Mas que me diga logo pra que eu possa desocupar o coração

caio fernando abreu

quarta-feira, 26 de maio de 2010

frase do dia .

'chegue bem perto de mim. Me olhe, me toque, me diga qualquer coisa, ou não diga nada, mas chegue mais perto. Não seja idiota, não deixe isso se perder, virar poeira, virar nada.'



caio fernando abreu

animais, bichos, .


E se realmente gostarem? Se o toque do outro de repente for bom? Bom, a palavra é essa. Se o outro for bom para você. Se te der vontade de viver. Se o cheiro do suor do outro também for bom. Se todos os cheiros do corpo do outro forem bons. O pé, no fim do dia. A boca, de manhã cedo. Bons, normais, comuns. Coisa de gente. Cheiros íntimos, secretos. Ninguém mais saberia deles se não enfiasse o nariz lá dentro, a língua lá dentro, bem dentro, no fundo das carnes, no meio dos cheiros. E se tudo isso que você acha nojento for exatamente o que chamam de amor? Quando você chega no mais íntimo, No tão íntimo, mas tão íntimo que de repente a palavra nojo não tem mais sentido. Você também tem cheiros. As pessoas têm cheiros, é natural. Os animais cheiram uns aos outros. No rabo. O que é que você queria? Rendas brancas imaculadas? Será que amor não começa quando nojo, higiene ou qualquer outra dessas palavrinhas, desculpe, você vai rir, qualquer uma dessas palavrinhas burguesas e cristãs não tiver mais nenhum sentido? Se tudo isso, se tocar no outro, se não só tolerar e aceitar a merda do outro, mas não dar importância a ela ou até gostar, porque de repente você até pode gostar, sem que isso seja necessariamente uma perversão, se tudo isso for o que chamam de amor. Amor no sentido de intimidade, de conhecimento muito, muito fundo. Da pobreza e também da nobreza do corpo do outro. Do teu próprio corpo que é igual, talvez tragicamente igual. O amor só acontece quando uma pessoa aceita que também é bicho. Se amor for a coragem de ser bicho. Se amor for a coragem da própria merda. E depois, um instante mais tarde, isso nem sequer será coragem nenhuma, porque deixou de ter importância. O que vale é ter conhecido o corpo de outra pessoa tão intimamente como você só conhece o seu próprio corpo. Porque então você se ama também .!

caio fernando abreu .

embonitar .

Fico quieto. Primeiro que paixão deve ser coisa discreta, calada, centrada. Se você começa a espalhar aos sete ventos, crau, dá errado. Isso porque ao contar a gente tem a tendência a, digamos, “embonitar” a coisa, e portanto distanciar-se dela, apaixonando-se mais pelo supor-se apaixonado do que pelo objeto da paixão propriamente dito. Sei que é complicado, mas contar falsifica, é isso que quero dizer — e pensando mais longe, por isso mesmo literatura é sempre fraude. Quanto mais não-dita, melhor a paixão. Melhor, claro, em certo sentido que signifícatambém o pior: as mais nobres paixões são também as mais cadelas, como aquelas que enlouqueceram Adele H., levaram Oscar Wilde para a prisão ou fizeram a divina Vera Fischer ser queimada feito Joana d’Arc por não ser uma funcionária pública exemplar


caio fernando abreu

a tal da nuvem .


Porque se for, não volte, a fim de que não corra o risco de ir embora de novo. E se for embora, lembre que com você está um pouquinho das melhores coisas de mim. Eu sei que você não é tudo que a vida reservou pra mim, porque um dia, quando eu estiver distraída, prendendo o cabelo ou coisa assim, uma pessoa tão ou mais perfeita vai chegar e me trazer uma nuvem. E vai chover toda vez que você não estiver bem.


Marjorie Magrini

meia .

(...) e em pensar que eu já vivi assim. Quando alguém diz que a dor de ser um estepe é compensada por todo o prazer que se tem em ficar com a pessoa, na verdade tem preguiça de discutir e se desvencilhar, uma vez que se sente acomodado na situação. Ou não tem coragem de dizer "eu não sou capacho, não, falou? Passar bem!", ou é masoquista mesmo. Porque não existe um indivíduo no mundo que depois de provar a felicidade de ser completo, ainda assim prefere continuar sendo um alguém pela metade


http://tatinhabliss.blogspot.com
achei no blog dela (:

Tchau, manga .


Juntei todas as minhas forças, e mais algumas que peguei emprestadas de amigos, e disse adeus à única coisa que realmente me dava alegria nesta vida.
Claro que eu adoro minha casa, meus amigos, meus livros, viagens, músicas. Tenho uma vida ótima. Mas nenhuma dessas coisas se comparava ao prazer que eu tinha ao ouvir o barulhinho de uma mensagem dele chegando. Ou de quando alguém dizia seu nome e o meu coração disparava tanto que eu tinha medo de morrer antes de decer a escada e abrir a porta.
E olhar para ele, com o seu sorriso misturado de pior e melhor pessoa do mundo. E olhar o brilho dos seus olhos sem saber se vinha da alma ou da lente de contato. Enfim: olhar e me sentir errando tanto e acertando muito. Isso tudo fazia valer os últimos dez, quinze ou quarenta dias sem saber se ele estava ou não vivo. Era um jogo estúpido, mas o brindezinho que eu ganhava no final justificava os dias de luta perdida.
Mas aí o ano ta terminando e resolvi começar o novo ano fora dessa palhaçada. Essa não parece a história de uma mulher esperta ou que merece uma história melhor. Quem pode cobrar da vida uma história de verdade se fica alimentando uma coisa desse tipo? Chega.
Sempre me gabei de nunca ter sido usuária de nenhuma droga e nem ao mesmo ter experimentado cigarro ou ter dado trabalho com bebedeiras. Sempre fui saudável além da conta. Até que me caiu a ficha de que ele era pior do que cocaína. Pior porque morenos bonitos e cheirosos são bem mais interessantes do que um pozinho branco que corrói o nariz. E melhor porque no dia seguinte o efeito
“mulher maravilha acha que sabe voar” continuava. Não existia depressão, não existia abstinência. A esperança de que ele ligasse ou aparecesse ou ficasse para sempre fazia a vida ser boa, não importasse a espera.
Mas, mais uma vez eu pergunto: essa parece a história de uma mulher esperta e que merece receber da vida uma companhia bacana, madura, profunda e para a vida? Não. Óbvio que não.
Por isso, com muito custo, chacoalhei minhas mangas. E só eu sei o quanto doeu ver a melhor coisa do mundo indo embora. Doeu um, dois dias. No terceiro, a melhor coisa do mundo virou a melhorzinha. Que virou a décima melhor. Que não virou nada .Tanto medo de não conseguir parar de fumar e no fim a gente descobre que realidade esfumaçada só dá bafo e dor no peito.


tati bernardi

a bobeira .


Não entendem como é louco isso tudo aqui. Caramba, pense bem. É bem louco, não é? E pronto


(...) Eu começava a tremer e queria vomitar e tinha certeza que não saberia viver. Eu nunca saberia viver. Nunca. Crianças só precisam pedir pros pais, não é? Como se vive, mãe? Tá, agora já posso ir brincar? Mas eu não, eu realmente pensava 24 horas por dia nisso. Em não saber viver. Se criança eu não conseguia, imagine adulta. Adulto ainda precisa cuidar dos outros. Mas como? Eu nunca vou conseguir. Mas passava, tinha prova, tinha menino bonito, tinha cansaço, tinha filme. E isso era viver e saber, mas eu não me dava conta. Nem hoje, se bobear. Dali a pouco, voltava. Eu passei mais de 60% dos segundos da minha vida assustada. Muito assustada. Mas rindo, mas fazendo todo mundo rir. E por dentro, um poodlezinho com medo da tosa. Fofo e fresco. E afiando dentes na madrugada caso me tirassem os pêlos bem no inverno. Você precisa ser menos agressiva, poodle. Ah é? E quem me garante então que não vão me arrancar os pêlos bem no inverno?
Eu posso explicar melhor agora que sou adulta. Apesar de continuar com o mesmo medo e com o mesmo respeito pela bobeira. Não, o mesmo medo não. Eu já sei que sei viver. Com ela. Não com medo dela chegar ou com medo dela ficar pra sempre. Mas com ela, sendo ela, sendo a bobeira, sendo o tremor, sendo o enjoo, sendo minha vontade de sempre ir embora. Mesmo ficando porque a gente ficou, pense bem. Não tamo aqui? Eu posso explicar melhor. Se depois do orgasmo você precisa de uns minutos abraçada, pro mundo não virar a coisa mais absurda do mundo e você ser engolido pelo buraco negro no asfalto de frente pro meu carro (eu sempre sonho isso). Depois da bobeira você precisa é de um útero. Porque ela é o orgasmo do mal. É o prazer que não se pode ter porque não te coloca no mundo, te tira. Não te aproxima de aconchego alheio, mas do inferno próprio. E o que é isso? Tentei algumas vezes. Para psiquiatras, analistas, neurologistas. É tipo assim ó: de repente, eu preciso ir embora, entende? Rápido, correndo. Por que o quê? Como assim? Porque eu morro, sei lá. O supermercado é terrível. Se você pensar bem, a obrigação das duas horas de um filme, pode ser terrível. E sentar retinha na cadeira do restaurante pra fazer alguém gostar de você? E o nariz, a gente tem nariz, entende? Cara, somos meio alaranjados e temos nariz. Nariz é estranho de doer, não é? E você beija uma pessoa, dai você lambe uma pessoa, dai essa pessoa dorme com você e, dali uns meses, o quê? Não sei, sumiu. Sumi. E segue-se.
Mas aí começou a piorar muito. (...) Eu aguento. Eu posso aguentar. Duas quadras, carro, três quadras, casa. Tem mato, tem árvore, tem passarinho, tem filme 3D, tem passagem pro mundo inteiro, tem elevador com dezenas de pessoas que conseguiram tomar café da manhã, tem suco de laranja, tem nariz, somos alaranjados (...) Talvez mais meio, porque tô cansando. E pronto. Só daqui 12 horas abrir os olhos e pensar como tudo fora do quadrado da minha cama me dá pavor.
Daí comecei mesmo a piorar. Tipo: padaria você consegue, vai! (...) Não adianta correr meia maratona. Não adianta pegar um avião pra Nova Iorque. É padaria mesmo. Aos poucos. Ir à padaria é como fazer fisioterapia pra perna acidentada. Um dia a padaria do bairro, outro a padaria do outro bairro. E pronto. Você consegue ficar na sala com as pessoas sem pensar: duas quadras, carro, três quadras, casa.
Agora tomo um remédio de manhã. Que engulo como se fosse uma vitamina meiga que a natureza fez brotar pra mim de uma frondosa árvore outonal. Nem sei o que tô escrevendo, mas sei que não me parece química, de verdade. As pessoas falam pra mim “larga essa merda”. Segurando seus copos de bebida, seus cigarrinhos de mato, seus vícios todos, suas manias, suas madrugadas fritas, seus dias fazendo de conta que não é assim, seus Ipods, phones, pads. Quem é que larga essa merda? Que merda? A vida. A bobeira? Não largamos, nunca. Vamos como der. Algumas vezes de muletas, algumas vezes mutilados, algumas vezes sem nem poder tocar direito o chão. Mas vamos. Mais perto. Primeiro até a padaria. Mas falta pouco, muito pouco, para padarias na China, pois estou melhor. Mesmo. Ainda procuro sentar perto das saídas. Ainda suo um pouco frio pra viajar sem meu carro. Ainda pergunto, sempre, aliás: e se eu precisar ir embora, onde é? Mas melhor, bem melhor. Já até como na padaria.
Eu senti meu cérebro romper. E toda vez que penso nisso, eu choro um pouco. Porque, cara, eu sempre achei que a bobeira mandasse em mim. Que minha mente, essa filha da puta, mandasse em mim. A soberana. Mas no dia que eu senti, de verdade, formigar pra todo lado. E algo que não era o poodle afiado disfarçado. Não era ninguém além disso. Eu fui lá e falei, olha, cara, eu quero um remédio aí pra ansiedade porque, na boa, eu preciso de ajuda. De verdade. Nesse dia eu vi que a mente é como a perna. O joelho estraga se você fizer os exercícios errados. E fritar é foder o joelho do cérebro. E se o cérebro é só um joelho, então o quê?
Nada. É isso. Um dia, você descobre e está salvo. Nada. Viver é só esse mistério mesmo. Não tente respirar mais rápido que o mistério pra tentar chegar antes dele. Respire passos pra trás da vida e isso é só o que dá pra fazer. Ela ganha e ponto final. Ela ganha, mas a gente se diverte pacas com isso. É tipo estar numa festa linda, você conhece alguém pra amar, você pula meio de pileque na piscina, você nunca se esquece. Mas a festa era de outra pessoa que, gentilmente, te convidou. Não tente roubar sua casa, sua comemoração grandiosa. Apenas bata palmas na hora do parabéns e aceite o convite da vida.
Não dá pra entender nada. Mas é isso. Temos um nariz, somos alaranjados. Com calma, que agora consigo ter (por causa do remédio, sim, mas também porque precisei ter medo de supermercado pra não ter medo de super qualquer coisa). Com calma, você repara. E não é ruim. Com calma, não se vê lá fora o assustador borrado da velocidade. Se vê como é. E não é tão feio. E até o feio, tem seu valor. É só isso. A vida. Com calma. Mil quadras do carro e três mil quadras de casa. Só a vida. Uma linda e magnífica bobeira.

tati bernrdi .


o texto completo taá no site dela > www.tatibernardi.com.br

ele era o certo .

Todos os outros só me serviram pra provar o quanto ele
era perfeito, mesmo sendo o mais cheio de defeitos. Todos
os outros só me trouxeram uma saudade ainda mais dolorida
dele, só me fizeram querer ele mais perto, só me deram
forças pra buscá-lo. Nenhum foi amor, nenhum foi paixão,
nenhum foi motivo de insônia ou de sono profundo. Todos os
outros foram apenas pedagogia, um jeito que Deus encontrou
de me ensinar que ele era o certo
. .


não sei de quem é, maaaaaaas eu achei muito lindo ! *-*

segunda-feira, 24 de maio de 2010

um pouco de saudade , pra variar !

Agora eu to com um pouco de raiva, é , porque eu to com saudades de novo, pouca, mais mesmo assim saudade, e eu só não acho normal isso doer um pouco que seja, depois de tanto tempo, e eu nao acho normal eu ter saudade de voce, só porque to lembrando da nossa época, porque voce talvez nem mereça essa saudade, porque talvez voce nem sinta, essa pouca saudade.
até porque eu não to lembrando de voce, mais de um lugar, de uma época e de umas pessoas, .. acho que a saudade nem é tanta de voce, mais de como a nossa época foi boa .
De como as pessoas daquela época, tinham graça, mesmo que eu nem notasse, e como momentos daquela época, que pra mim não acrescentavam em nada, hoje são tão significativos, não, não era voce que tornava os momentos tão mágicos, não, não pode ser , porque caramba, voce não tava comigo nas minhas aulas, e não estava lá quando eu discutia a musica comtemporanea com o meu professor, e tampouco quando eu fazia uma prova pratica, e voce também não estava, lá quando todo mundo se reunia e conversava, mais voce sempre ia me buscar, no final de tudo, voce tava sempre lá, sorrindo, me esperando, me perguntando como tinha sido, e me dando sermão quando eu dizia que o meu professor exigia muito de mim, e voce dizia que era quem não estudava muito, e por falar em estudar, voce estava lá por mim, voce nem ia aos seus compromissos, voce só estava lá, comigo, e por muitas vezes eu não estive lá com voce, muitas vezes, eu quis que voce não estivesse lá, pra não ter uma vontade imensa de deixar tudo de lado e ficar só do seu lado, eu não queria ter vontade e não poder fazer, mesmo que de vez em quando, bem de vez em quando eu fisesse. Agora eu me dei conta, eu não to lembrando só de uma época, e de umas pessoas, e de um lugar, eu to lembrando da NOSSA época, das pessoas que se tornavam pretextos pra eu estar com voce, e principalmente do nosso lugar, do lugar, que sempre vai ser o nosso filme, do lugar, acho que aquele lugar, é partcularmente nosso, porque eram lá que nós jurávamos nos amar pra sempre, porque é lá que está a nossa casa dos sonhos ( é a minha casa dos sonhos, mais eu te obriguei a desejar ela, ) é lá, que estão as nossas maiores descobertas, é lá que ta o mais fundo que eu pude explorar até hoje de um lugar, é lá que eu tinha a minha liberdade, e por ironia do destino, eu aproveitei toda a minha liberdade do seu lado, porque aos poucos momentos livres, eu gritei do seu lado, eu fui um pouco mais eu do que o normal no nosso lugar, porque lá em especial eu não devia nada a ninguém, e eu estava com voce, e me sentia um pouco voce, pra experimentar a liberdade que voce dispunha o tempo inteiro, e eu só em alguns momentos .
A nossa história não se passou lá, por tempo integral, na verdade, foram alguns dias, maas , que dias lindos aqueles . que sol era quele meu deus ? e porque ele parece não brilhar tanto agora ? porque parece que os dias não são mais pura poesia ? porque não tem musica de fundo ? e nem medo da falta do que nem passou ? porque, ? porque ? porque a continuação dessa história , não tem mais cara , nem inocência de criança ?
eu não morro de saudade de voce, nem acho que a vida hoje seria melhor com a sua presença, mais o passado ao seu lado foi significativo demais pra ser esquecido assim . eu realmente estou contente com o que eu so hoje, eu finalmente me sinto meio mulher, me sinto com algum controle sobre mim, e minhas emoções, mais como era bom, ser criança com voce, ser emotiva ao extremo ao seu lado, como era bom ser um pouco mais EU do seu lado ..



anônimo

sobre traição .


Mas é tão difícil terminar um relacionamento. Tão complicado para chegar no outro e dizer chega. São poucas as ocasiões em que isso ocorre sem drama, sem dor. A maioria das vezes, é necessário uma desculpa, um deslize do outro para servir de álibi, para vencer a sua própria covardia em não assumir o desejo de separação. Há aqueles que arranjam outras pessoas, para fingirem-se de apaixonados. “aconteceu, não tenho culpa”. Mas, nesses casos é certo que o amor já não mais existia, porque se não nada aconteceria. Quando um amor está latente, não há tentações que valham o sacrifício. Quando uma pessoa ama em estado profundo, os seus sentidos estão bloqueados , o seu corpo está fechado. É preciso ser muito frio para amar e trair .



Vergonha dos pés - Fernanda Yong

i miss you .



Eu sinto falta de algo, sinto falta de alguma coisa que ainda não sei o que ou talvez até saiba mas meus sentimentos andam tão misturados que não consigo distinguir bem o que é. Não sabia que seria tão difícil colocar minha vida em ordem, não sabia que seria tão difícil voltar a viver, acho que nada vai voltar a ser como era porque de alguma maneira você me fez amadurecer e eu percebo isso nitidamente quando releio aquelas nossas conversas antigas. Como eu queria poder voltar no tempo e refazer a nossa história, como eu queria voltar e mandar pra p... a minha estupidez e te dizer todos os dias eu te amo te dizer todos os dias o quanto você era especial pra mim, falar pra todo mundo que você era o homem da minha vida! Porque mesmo que a gente só da valor quando perde? porque mesmo que a gente só reconhece o erro depois de tanto sofrimento? Não sei se estou assim porque sinto falta das mensagens, aquelas que eu tanto reclamava, porque você me mandava uma a cada um minuto, se sinto falta de chegar todos os dias super cedo no colégio pra ir correndo na tua sala e te ver lá me esperando, se sinto falta das horas que passávamos conversando no telefone, da broncas que eu levava por sempre chegar tarde em casa, se sinto falta de alguem que me diga com toda a sinceridade do mundo 'eu te amo', que nem você dizia, se sinto falta das mordidas quando você me beijava, aquelas que eu tanto brigava com você haha, se sinto falta das nossas discussões de relação ridículas quase todos os dias, se sinto falta das musicas, dos abraços, do coração batendo, dos olhos cheios de lágrimas quando eu te deixei e quando você me deixou. Sei que te fiz sofrer demais, que te fiz chorar, que te decepcionei por isso que quando eu paro e penso melhor na gente entendo tudo o que você fez comigo, e não te culpo por ter me deixado quando tivemos a oportunidade de refazer a nossa história, não te culpo porque eu agora eu sei o quanto eu te magoei e o que você fez comigo foi só uma forma de defesa para evitar que tudo se repetisse.


Thais G .

o perfil dela tá aqui gente > Thais G

caminhão .


(...)O tempo todo me dizendo menos. Menos. Pra aguentar, por favor. Pra ter alguma coisa, qualquer coisa. Duas semanas. Um mês. Menos. Menos dor, menos amor, menos ódio, menos vontade de fazer cortar. De sangrar pra fora pra poder ser menos. Por favor.
Sorria como a moça da mesa ao lado, coloque um montinho de cabelo atrás da orelha, alongue um pouco o pescoço. Seu olhar está perdido porque pra poder estar naquela mesa ela foi matando pouco a pouco sua ferocidade. Mas ela toma chá e sorri. E você? Você mais uma vez vai voltar cheia de razão e sozinha. Cheia de tudo que não esquenta o pé. Cheia das facas enfincadas em volta do coração. Mas pensando “ainda falta o centro, ainda posso dar mais uma chance”.
O tempo todo maquiando o caminhão, para que pareça uma minivan ou qualquer coisa tão desengonçada e apressada quanto, mas mais cabível. Que possa estar na estrada que todo mundo está parado, o eterno trânsito de chegar nesse lugar que a gente acha que é o único porque estão todos lá.
E no meu ouvido, o tempo todo soprando. Esqueça isso, você não cabe, você não combina, a estrada não é feita pra você, você só pesa nela, só atrapalha, só é feio e odiado. É isso, não se desvira caminhão. Se é e pronto. Solitário demais, terrível demais. Mas pro outro lado, está vazio. Tem espaço pra você. A dor de virar um carro família, um carro esporte, um carro compacto. Não aguento mais, não aguento mais querer me refilar, não aguento mais querer mudar a química do meu cérebro, não aguento mais pedir perdão (...)
(...) Isso, mais uma vez, mas dessa sem voltar. Você não sabe amar, caminhão. Não pode. Não é feito pra você. Dê meia volta, por favor, sem atropelar, sem matar, sem cair, sem levar ninguém. Na tristeza dura de quem tem tanto tamanho mas não tem força pra suportar. De quem tem tanto tamanho e não consegue por medo em ninguém. De quem precisa tanto de abraço mas é grande demais pra sentir os braços em volta. De quem poderia estraçalhar os carros família mas só sente o peso insuportável de ser minúsculo perto deles (...)
(...) Se você não pode ver meu coração de carruagem, ou sei lá que carro poético poderíamos imaginar agora, eu também não quero mais ser nenhuma outra coisa.
De todo mundo que eu vi de costas, partindo, foi a vez que mais doeu. Talvez porque um pouco antes, quando eu ainda amava sua nuca e sua eterna mochila nas costas como amei poucas coisas na vida, você se virou, apontou o dedo pra mim, e gritou, com pouco ou nenhum carinho: você é um caminhão! Caminhão! Caminhão!
E eu sei, e eu tentei mais do que nunca, e eu quis mais do que nunca. E eu achei que os caminhões também pudessem ter donos e direções e medalinhas. Você também me usou pra levar sua mudança e voltar vazia das suas coisas é a coisa mais triste que já aconteceu na minha vida !


tati bernardi

pra quem quiser o texto completo, Tati Bernardi site .

Selinho *-*

indicar 5 Blogs.


http://justcolourmylife.blogspot.com/
http://sussurrosdeumagarota.blogspot.com/
http://scapebreak.blogspot.com/
http://detailsthefabric.blogspot.com/
http://descompassodelas.blogspot.com/



eu simplismente aaamo esses blogs ! *-*

domingo, 23 de maio de 2010

todos os dias .

Toda os dias, quando cai a noite lá estou eu: Procurando você. No meu travesseiro, no porta-retratos onde ainda está nossa foto, no cheiro que você deixou no meu quarto da última vez em que disse que me amava, nas cartas de amor que me escreveu, nos ursos de pelúcia, nas promessas, no meu celular. Essa é minha rotina. Procurar algo que eu nem sei se um dia foi meu de verdade. É sempre assim. Todos os dias, todas as noites lá estou eu. Procurando uma verdade inventada, sonhando que assim como você saiu daquela porta, você irá voltar mais lindo do que nunca, com um buquê de flores vermelhas na mão. Louca eu não? Vivo dedicando meus dias a alguém que passa por mim sorrindo, feliz. Sem ao menos perceber minha presença. Alguém que jurou amor eterno, fez infinitas promessas, me amou de um jeito louco e disse nunca me abandonar. P A L A V R A S! Palavras que foram jogadas ao vento, como se fossem nada. E mesmo com todos esses motivos para te esquecer, eu continuo aqui. Dedicando cada dia, cada noite, cada hora da minha vida á você. Acreditando sempre, em um final feliz. No nosso final feliz!


Gold Somerhalder Dreams

muito lindo esse texto, o perfil dela : Gold

sem nome .

Eu daria tudo pra ser a mulher perfeita pra você. Eu te amaria a cada minuto da minha vida, te levaria comigo em que passo do meu caminhar, em cada batida do meu coração. Eu faria o possível e o impossível pra te fazer feliz o tempo todo, pra demonstrar o quanto você é importante e especial pra mim. Entretanto, não posso te oferecer nada além do meu amor. Não quero que você goste de mim pela minha insistência, ou pelo tanto que eu te quero bem. Não quero brigar por seu coração com quem ou o que for. Amor não se disputa, não se pede, não se joga. Amor se conquista. E agora tenho apenas que lamentar por não ter ocupado definitivamente o seu peito neste tempo todo em que estivemos juntos, por não ter aproveitado a minha chance. Agora só me resta chorar as dúvidas que ainda te restam. Não se culpe nem se envergonhe. Você simplesmente não me ama mais. Dói, mas eu entendo. Antes de tudo quero o melhor pra você. E, mesmo que meu mundo desabe, que me faltem até palavras ou esperanças, eu prometo que vou levantar e caminhar de novo. Um dia eu aprendo a viver sem seu amor, por mais que eu não queira aprender.


A verdade é que não posso lhe culpar por nenhuma das minhas penas. Se você fez o que quis de mim e mudou o rumo da minha vida foi porque eu permiti. Você nunca me pediu nada e eu sempre lhe dei tudo, já que era o único jeito de ficarmos juntos. E como eu queria viver perto de você.




marcia duarte

fragmento .


Que merda. De que vale tudo isso? Quanto vale a minha vida? ‘Já conheço os passos dessa estrada e sei que não vai dar em nada.’ Rigel está de novo em prantos. E ele tem todo o direito de chorar. Ele tem todo o direito do mundo de bater com a cabeça na parede. Quanta dor um homem suporta? Quanto um coração agüenta de sofrimento? Dá para morrer de amor? (...) Você sabe o que é perder? Sabe. Não há quem não saiba o que é perder. Depositar tanto sonho em algo. Sonhar é tão trabalhoso. Imaginar um mundo de felicidades sem fim. Lotado de paixão e sensualidade. Passear com seu grande amor. O amor de sua vida para sempre. E esse amor vai ser pra sempre lindo e charmoso. Irá dizer coisas espirituosas para você no balcão de um bar cool. E quando chover de repente, e você pensar em correr, o amor de sua vida – que é lindo, culto, corajoso – dirá que quem corre da chuva é rato e que nós somos homens, somos fortes e invencíveis. O amor entupindo as veias de fé e imortalidade. Nós já nos conhecemos desde outra encarnação e vamos nos amar para toda a vida celestial e eterna. Uma eternidade sem fim. Não, não há morte. Ficaremos paras sempre juntos. (...) E não há paisagem que seja mais linda do que o rosto do seu amor. Não há pôr-do-sol que valha desviar seu olhar do dela. Eu te amo. Eu também te amo. Eu te amo mais. Impossível. Eu te amo o mundo. Eu te amo o universo. Te amo tudo aquilo que não conhecemos. E eu te amo antes que tudo o que nós não conhecemos existisse. Eu te amo. Eu te amo. Eu te amo mais do que a mim. ‘Já conheço os passos dessa estrada’... E, mesmo assim, estarei sempre pronto para esquecer aqueles que me levaram a um abismo. E mais uma vez amarei. E mais uma vez direi que nunca amei tanto em toda a minha vida. Direi. ‘Vou colecionar mais um soneto, outro retrato em branco e preto a maltratar meu coração’. Rigel chora. É um marmanjo chorando sozinho, sem conseguir tomar banho. Não! Preciso reagir. O que eu tenho, afinal? Saudades. Eu tenho saudades


fernanda yong

shoes.


Estou numa época que prefiro um bom sapato a um homem mais ou menos. Pelo menos o sapato aumenta minha autoconfiança e eu sei exatamente onde ele irá me maxucar. Estou certa ?

fernanda mello

o amor ..

.. nos tira o sono, nos tira do sério, tira o tapete debaixo dos nossos pés, faz com que nos defrontemos com medos e fraquezas aparentemente superados, mas também com insuspeitada audácia e generosidade. E como habitualmente tem um fim - que é dor - complica a vida. Por outro lado, é um maravilhoso ladrão da nossa arrogância./ Quem nos quiser amar agora terá de vir com calma, terá de vir com jeito. Somos um território mais difícil de invadir, porque levantamos muros, inseguros de nossas forças disfarçamos a fragilidade com altas torres e ares imponentes./ A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranqüilidade, querer com mais doçura./ Às vezes é preciso recolher-se .




Lya Luft

o amor .

Como diria Milan Kundera “o amor começa por uma metáfora. Ou melhor: o amor começa no instante em que uma mulher se inscreve com uma palavra em nossa memória poética”. Como diria João Guimarães “o que é doideira às vezes pode ser a razão mais certa e de mais juízo”. Como diria ou gritaria ou uivaria Robert Plant “Com apenas uma palavra ela consegue o que veio buscar.
 E ela está comprando uma escadaria para o paraíso”. As coisas são como são. Na hora certa. E foda-se.



tati bernardi

estação


(...) Estou na estação há tanto tempo. E sempre tem gente chegando e indo. E sempre tem amor e bala e dinheiro e cama e água e fins de tarde bonitos e brinquedos e catracas com a segurança de uma novidade de sempre. Em alguns momentos fica o equilíbrio terrível de nunca ir. Fica a dor terrível de todo mundo que foi. Fica a ansiedade terrível de todo mundo que tem pra chegar. Agora. Agora. A cada volta de uma piscada eu tenho minha esperança renovada. Mas nenhum desses silêncios chega perto do som que é viver ouvindo o mundo se locomovendo enquanto só tento enxergar de olhos bem abertos sem me mexer. Estar no centro do barulho nunca foi realmente uma solidão. A troca é tão bonita porque sorrio achando todos tão corajosos com seus ternos e pastas e pressas e chegadas e “que mais”. E eles sorriem de volta, me achando corajosa também em ficar. E só olhar. E poder amar esse trecho de vida deles ainda mais do que eles próprios que nem se percebem em trechos.
Eu vivo na estação porque peguei carinho pelas placas e sujeiras e as faxineiras cedinho tirando os estragos do mundo na minha casa de passagem. Acho tão bonita a sensação de estar no único lugar onde se pode estar com todos e esperar por mais um trecho de todos. Sei que não escolho nada, não sigo com ninguém, não conheço outras idades e lugares e gastrites e ventos.
Eu sou uma estação, é isso. Assim não dói além porque eu sei, desde o começo, que sou passagem. Então, vão, mas logo apita de novo. E é sempre movimentado, mesmo quando apagam as luzes e a vida dos outros descansam da minha parada. Existe o movimento que fica atrasado no ar e durmo embalada por tanta coisa que quase parece coragem .
Até que hoje, não sei se porque enjoei dessa casa da infância, não sei se porque às vezes o amor é mesmo mais forte que mil anos de segurança. Eu pisei tremendo na escada e o homem da catraca era tão diferente de todo mundo e, pela primeira vez, as placas e mulheres do caixa e bilhetes e pessoas e brinquedos coloridos e apitos e fins de tarde e moças da limpeza. Ninguém tentou me agarrar porque era como se o mundo dissesse “acho que são cinco da tarde e uma hora você precisa ser mulher”. E eu pedi socorro. Eu não sei sair daqui mas quero ir com você. Eu tenho cinco anos de idade mas quero ir com você. Tudo me dói tanto e eu tenho tanto medo mas tudo bem, vamos lá. Na próxima parada só me lembra que é bom eu fazer xixi e comer alguma coisa porque tô te achando tão bonito que talvez eu esqueça.


tati bernardi


quem quiser ler completo : http://www.fotolog.com.br/japa_ju/40471044 sim eu encontrei num fotolog , hahaha .

tati b .

Como eu tinha combinado que não ia mais te ligar pra encher com ciúme, tô te ligando pra falar que tô com ciúme, mas não vou te encher


tati bernardi

sábado, 22 de maio de 2010

saudade .

Hoje me bateu uma saudade enorme de voce.Nao sei porque nao falamos mais um com o outro e voce faz muita falta as vezes.
E eu que pensava que ja tinha te esquecido,conseguia ver voce on e nao puxar conversa como sempre,voce me chateou tanto que nao fazia mais diferença.Afinal de contas eu tambem ja encontrei uma pessoa muito melhor que voce,que me ama como voce nunca me amou,ou talvez me ame menos,isso nao faz diferença,mesmo porque voce nunca teve coragem de me dizer oque sentia.
O fato que é agora voce está exatamente do outro lado do mundo. e faz tudo o que eu sempre sonhei fazer , conhece lugares maravilhosos e tem tudo o que quer. quase tudo.
Hoje eu percebo que nao te esqueci, apenas aprendi a viver sem. Talvez ele seja melhor em tudo mas eu nao sei, ele nunca esteve ao meu lado, ele tá longe eu sei,mas tá mais perto que voce. Sinto saudade dos seus beijos e do teu jeito bobo, sinto saudades de te ver cantando aquelas musicas bregas e das suas propostas indecentes ,rs que eu ria tanto e por dentro tinha tanto medo. So voce fez o meu coraçao ir a mil por hora apenas com um olhar, um toque que arrepiava, e com voce eu soube o que era a sensaçao de ver o mundo sumir a cada beijo. Voce foi muito importante e sempre vai ser, voce foi o primeiro em muitas coisas,desculpe ter perdido meu tempo com outro. Eu nao sei se eu te amava,mas eu era louca por voce,sonhava com voce e voce nem imagina o quanto meus olhos brilharam no dia em que voce disse 'eu queria saber o que é o amor, e eu sei que voce pode me mostrar'. me desculpe pela covardia , eu nao tive coragem, com voce parecia tudo brincadeira,afinal eu era sua pirralha ne ? :) nunca me achei boa o suficiente pra voce,sei que isso é um absurdo. hoje eu resolvi desabafar nesse texto , pra ver se finalmente eu consigo guardar so o que foi bom de nos dois, eu nunca vou saber se voce me amou , voce sempre foi uma pessoa muito complicada pra mim, acho que foi isso que me fascinou em voce voce sempre foi diferente,sempre soube me agradar mesmo nao querendo,sempre soube fazer eu me apaixonar , hoje ja faz mais de um ano que a gente se conheceu , passamos quase 5 meses relativamente juntos, e preciso te contar que o meu 'namorado zuado' eu terminei com ele porque nao conseguia parar de compara-lo a voce. aquele ultimo dia em que a gente se viu , eu senti que eu realmente nao podia fazer parte do seu mundo, nao sou tao bonita inteligente ou rica quanto as garotas que voce conhece , nao sei se voce me amou mas sei que voce sentia algo muito forte por mim , e pensando bem eu te amei sim , e esse amor hoje, se transformou num amor de amigo , eu realmente quero que voce seja muito feliz do meu lado ou nao. foi tudo tao lindo o que a gente viveu , voce me fez virar uma garota má sabia ? :/ rs , me fez fazer coisas que eu jamais imaginei que faria, me fez sentir como se ninguem fosse melhor que eu,como se o mundo nao existisse , mas eu sabia que nao podia me prender a voce. Hoje finalmente te liberto, espero que um dia a gente volte a ser amigos. voce continua ficando cada vez mais inteligente e lindo , quem sabe eu tenha a sorte , ainda sonho que voce pensa em mim as vezes, e que lembra de mim como uma parte feliz da sua vida. quando voce voltar,nao esquece de me procurar, voce ainda pode contar comigo para conversar nos seus momentos de menino humano,carente , porque voce é assim bem la no fundo que eu sei.Toda brincadeira tem um pouco de verdade,acho que hoje tao distante de voce eu consigo te entender.
Obrigada por ser a parte mais feliz da minha vida.
espero que esteja bem , sozinho ou com quem quer que seja.

entre os coraçoes que eu tenho tatuados, de voce eu lembro mais.


que texto lindo, amei !

DOOFENSHMIRT vulgo WONKA

um contato (:

o msn pra quem precisar : lobalela.caotica@hotmail.com (:

sexta-feira, 21 de maio de 2010

romântica pra kacete .

Nem todo dia tem Sol, nem toda sobremesa é cheese cake e nem toda relação homem e mulher é romance.
E você vai fazer o quê?
Vai se matar por causa do cinza acima da sua cabeça? Vai tremer hipoglicêmica e carente porque só sobrou torta holandesa? Vai se manter virgem e intacta até aparecer o homem que vai te dar uma casa com cerquinhas brancas, cachorrinhos e bebês?
Claro que não, você vai viver a vida, curtindo o que ela tem de melhor. E o que um bonitão que só quer te comer pode ter de melhor? Bom, eu poderia fazer uma lista. Mas a droga do romance estraga tudo isso, a droga dos filmes românticos nos enganam como as propagandas de cerveja que enchem de gostosas os babacas segurando um copinho.
Por que raios a gente tem de romantizar qualquer demonstração de carinho de um homem se na maioria dos casos eles só querem nos comer? E por que ficamos tão putas se eles apenas nos comem e caem fora?
Quem disse que eles são obrigados a nos amar eternamente só porque conheceram de perto a nossa beleza interior? E, finalmente: que mal há em sermos gostosas e os homens quererem nos comer? Por que isso parece ofensivo? Por que nos sentimos usadas se ambos estão lá de livre e espontânea vontade?
Isso é herança das mulheres pudicas, sonhadoras e donas de casa do século passado ou a célula do romance vai eternamente se multipilcar e passar de geração em geração através das mulheres?
Eu tento, juro que tento. Mas a droga do romance não me deixa em paz.
É uma praga.
Conscientemente eu sei que nem todos os caras querem namorar comigo, e mais conscientemente ainda eu sei que eu também não quero namorar com a maioria deles. Mas lá dentro fica a dúvida: será que fui usada?
Da onde vem esse sentimento fraco, submisso, antigo, arcaico, pobre e idiota de que numa relação sexual o homem é o dominante que come e a mulher a coitada que é comida? E por que se ele te tratou tão bem, com tanto carinho e respeito, só quis te comer e caiu fora? Precisava se dar tanto trabalho?
A vida é complicada. E a vida é complicada porque nós mulheres romantizamos tudo, ou quase tudo. Ou justamente o que não deveríamos.
A gente faz planos mesmo em cima dos silêncios deles. A gente vê beleza em cada sumiço. A gente vê olhares de amor no mais puro olhar de tesão. A gente acaba de trepar e é batata: deita no peito deles!
Ah, o romance! Mulher que é mulher não consegue fugir de um.
Você vai para o banho super senhora de si, mas enquanto a água escorre, você fica na dúvida entre se ele vai ligar no dia seguinte e o nome dos filhos. Será que ele vai ter os olhos do pai?
Eu cansei de ser assim, por que não consigo ver os homens como diversão se eles conseguem tão facilmente nos ver assim? Por que não posso aceitar que nem tudo é romance?
Por que a droga da chuva me lembra todas as vezes que eu voltei para casa sonhando e no dia seguinte me deparei com a frieza do dia seguinte?
Aonde está você pelo amor de Deus! Aonde está você? Não vê que estou cansada de pertencer a todos e não ser de ninguém? Não vê que minha devolução me enfraquece cada vez mais em me entregar?
Não vê que na loucura de te encontrar não meço as entregas? E elas nunca são entregas porque eles nunca são você.
Porque comecei este texto tão bem e mais uma vez esqueci de ser a mulher moderna que eu tanto gostaria de ser para lembrar a mulher romântica que espera por você a cada esquina, a cada decote, a cada riso nervoso que solto em forma de grito à espera do seu socorro.
Eu vou continuar vendo você em todos esses crápulas que fingem ser você para vulgarizar o meu amor. Eu vou continuar cheirando você em todos esses suores fugazes que me querem num conto pequeno. Eu vou continuar lendo a nossa história em contos pequenos.
Cadê você que some a cada som que não me procura? Cadê você que parece ser e nunca é porque desaparece no cansaço das relações?
O meu amor acaba por todos, a minha espera cansa por todos, a minha raiva ameniza por todos. Mas a minha fé por você cresce a cada dia.
Eu posso transar no primeiro encontro, eu posso transar por transar. Eu posso trepar. Eu posso te encontrar num flat na hora do almoço para uma rapidinha. Eu posso reclinar o banco do meu carro e mandar ver. Eu posso deixar você não me beijar na boca. Eu posso aceitar que você nunca me leve de mãos dadas a um cinema. Eu posso ser uma noite e nada demais. Eu posso ser um banheiro e nada mais. Eu posso ser nada mais.
Mas eu nunca, em nenhum momento, deixo de romantizar a vida, cada segundo, por mais podre que seja, dela. Eu nunca deixo de procurar você. Eu nunca deixo de acreditar que você exista, e eu nunca deixo de acreditar que você faz o mesmo a minha espera .


tati bernardi

amor a segunda vista .

E agora que eu tenho certeza que você não é aquele, eu me descubro cagando um monte pra tudo isso.
Porque você não é perfeito, mas o homem idealizado não tem o maldito cílio torto que eu amo tanto e que vez ou outra te causa alguma remela.
O mala do cara dos meus sonhos não tem o desenho da sua boca: com mais tinta do que contorno.
O homem perfeito é um puta de um chato com seus cds cults e cartazes de filmes europeus pela sala. Você com aquele seu vinil incansável do Bob Marley é muito divertido, porque a gente briga até não agüentar mais por causa dele e depois faz as pazes transando do nosso jeito.
Porque o homem perfeito é cheio de estripulias sexuais, mas eu detesto estripulias e adoro nosso jeito intenso de se amar cheio de inconformismos com a intensidade.
Eu sonhei sim com esse cara, que me levaria tomar sopas quentinhas em lugares com jazz e olharia para mim a noite toda achando que maior diversão no mundo não poderia haver.
Mas você com essa sua mania de encher de amigos as pizzarias e soltar um ou outro "irado" me faz te odiar tanto e querer tanto a sua atenção. E me faz querer tanto você daqui a pouco, porque você não enjoa. Você me cansa demais mas não enjoa.
E quando você me cansa eu enfio a minha cabeça no fortinho do seu peito, eu que sempre odiei os malhados, e peço a Deus para que eu nunca desista de te odiar tanto assim, porque não pode existir ódio mais cheio de borboletas, notas musicais e passarinhos azuis.
Eu quero sim te matar, porque você tem uma mania surda de responder todas as minhas perguntas com um "ãhhh?" enjoado, e eu quero te socar porque você já descobriu tudo o que me irrita e gosta de me ver assim. Mas quando qualquer outra coisa no mundo me irrita, eu lembro que eu tenho você pra me fazer sentir essa raiva nossa de sitcom inteligente.
Não somos um casal melado, mas duvido que tenha alguém que duvide do nosso amor. Quer dizer, a gente duvida, mas a gente é louco.
E o homem perfeito teria a maior paciência do mundo em me curar dessa loucura, e você tem a maior paciência do mundo em aumentar a minha loucura.
Mas eu preciso da minha loucura para escrever coisas geniais e ganhar dinheiro com isso. E sustentar você que, apesar de ganhar bem, é um vagabundo que dorme demais e quer largar tudo para morar na praia.
O homem perfeito não é um boa-vida não, mas certamente eu o trairia com você.
E sua cara de sonso despretensioso para a vida, enquanto eu coleciono rugas, berros e inchaços. A sua cara de que "não é comigo" vai muito bem com a minha máscara da agressividade que acredita que tudo é comigo.
Nossa dança num baile de máscaras é eterna, porque quando eu peso a mão, você me faz voar. E quando você perde o chão, eu te dou um soco na cabeça pra ver se achato a sua alegria pra caber na minha.
E você cabe de sobra na minha intensidada, e acaba que a minha neurose fria é o quentinho da sua cama.
E o homem perfeito tem um beijo profundo e ritmado, que de tão melado e encaixável me deixa saciada de um jeito que encerra o meu desejo. E você tem um jeito caótico de me beijar meio burro, porque se eu vou para um lado, você vai para o mesmo. E é nesta única hora em que você não deveria concordar comigo, que você concorda.
E eu nunca me dou por satisfeita, e acabo achando que a gente ainda nem deu o nosso primeiro beijo, o que me causa uma ansiedade de paixão inicial que não deixa o peito relaxar.
E o homem das minhas ilusões me deixaria relaxar numa enorme cama amorosa, e acordaria inúmeras vezes para me ver dormir abraçada a toda a certeza que ele me daria com apenas um segundo de olhar.
É cansativo viver sem vírgulas porque eu respiro a sua existência 24 horas por dia, e só coloco vírgulas teatrais para você não enjoar de mim.
Te amar não é fácil, é quase o anti-amor. É muito quase como se você nem existisse, porque só o homem perfeito mereceria tanto sentimento. E eu te anulo o tempo todo dizendo para mim, repetindo para mim, o quanto você falha, o quanto você fraqueja, o quanto você se engana.
E fazendo isso, eu só consigo te amar mais ainda. Porque você enterrou meu sonho aprisionado pela perfeição e me libertou para vivê-lo.
E a gente vai por aí, se completando assim meio torto mesmo. E Deus escrevendo certo pelas nossas linhas que se não fossem tão tortas, não teriam se cruzado.



tati bernardi